CYL GALLINDO


CYL GALLINDO (Cícero Amorim Gallindo) nasceu em 28 de maio de 1935, no município de Buíque, Estado de Pernambuco, filho de João Torres Gallindo, ourives/agricultor, e Maria Cursino Amorim Gallindo, doméstica. Foi o 6º de 13 filhos. Nos primeiros anos o universo do poeta era a cidade de Buíque: o grupo Escolar Duque de Caxias e a professora Dona Dodoce; o promotor Geraldo Valença, que leu seus primeiros poemas; o seminarista José Cursino; e seu avô Paigué - Miguel Pinto de Amorim. Com apenas 14 anos. sem armadura nem espada, inicia suas andanças. Começa pelo Sertão do São Francisco. Foi sociólogo, jornalista, Escritor, poeta, contista, conferencista e cronista brasileiro. Diplomado em Ciências Sociais pela UFPE. Faleceu em João Pessoa, PB (04.02/2013).

Trabalhou na Assessoria de Comunicação do Senado Federal e de outras repartições públicas. Foi repórter, redator, editor e colunista de jornais de Pernambuco, Brasília e Mato Grosso, além de correspondente do Jornal de Letras, RJ. Produziu e apresentou o programa Síntese, na TV Universitária, Recife, e colaborou com o jornal Gazeta do Povo, no Paraná.

Foi membro da Academia Pernambucana de Letras, da Academia de Letras do Brasil e da Alane, do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal e da ANE - Associação Nacional do Escritores - Brasília, DF, e também da UBE - União Brasileira dos Escritores /PE. Foi membro (fundador) do Conselho Municipal de Cultura do Recife. Conquistou Prêmios de âmbito nacional com poesias e contos, um dos quais foi reproduzido na revista PRISMAL - University of Maryland - USA.

Foi o responsável pela ampliação do acervo do Brasil no Museu Tropical, do Instituto Real dos Trópicos, em Amsterdã - Nederland, quando em 1976, em companhia do Dr. Hans de Marez Oyens, reuniu e catalogou 408 peças, de vários estados brasileiros cujo setor foi inaugurado pela rainha Juliana.

CYL GALLINDO privou da amizade de grandes nomes da Literatura Brasileira, como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Gilberto Freyre, Mauro Mota, Nélida Piñon, Anderson Braga Horta, José Santiago Naud, Luiz Luna, Anna Amélia Queiroz Carneiro de Mendonça, Plínio Doyle, Maria de Lourdes Hortas, Lourdes Sarmento, Alberto da Cunha Melo, Geraldino Brasil e muitos outros.

Participa de diversas antologias de poesias e contos, com poemas vertidos para o francês pela profª Nilda Pessoa da UFPE, para participar de antologia de poetas brasileiros em Paris/96.

Representou no Brasil a Revista Internacional de Literatura e Arte, Francachela, editada no Chile. Foi diretor da Coleção Integração Cultural Latino-Americana (CICLA), destinada à tradução e publicação de obras de autores brasileiros contemporâneos, na Argentina, além de fazer parte do conselho Editorial da Revista Encontro, do Gabinete Português de Leitura, PE.

Proferiu conferências em mais de uma dezena de universidades, de norte a sul do país; em instituições outras como a Casa de Cultura Euclides da Cunha, em São José do Rio Preto, SP, durante dez anos, da qual recebeu placa comemorativa dos 100 anos de publicação de Os sertões; e no I, II, e III Congresso Nacional de Escritores em Pernambuco. Foi agraciado com inúmeras placas de entidades culturais. A 18.11.2004, recebeu o título de Cidadão do Recife e a Medalha José Mariano, concedidos pela Câmara Municipal do Recife, sob proposta do Vereador Paulo Dantas.

"Minha pátria estende-se a quatro cidades: Buíque, onde nasci; o Recife e o Rio de Janeiro, onde vivi a juventude, e Brasília, onde inauguro a velhice. Sendo que Buíque é a Pátria-Umbigo. A marca mais funda da minha digital, onde se identificam minha própria alma, o meu caráter, a minha dignidade".

- OBRAS PUBLICADAS -

*Agenda Poética do Recife, 1968; 
*A Conservação do Grito-gesto, 1971; 
*As Galinhas do Coronel, 1974; 
*O Urbanismo na Literatura, 1976; 
*Um Morto Coberto de Razão, 1985; 
*Contos de Pernambuco, 1988; 
*Livro para Minha Idade - O Menino e o Peixe, 1989; 
*Quanto Pesa a Alma de um Homem / Quanto Pesa a Alma de uma Mulher, 1994; 
*Os Movimentos, 1996; 
*20 Poemas Escolhidos por Waldemar Lopes, 1999; 
*Cadeira de Dinah, 1999; 
*Em Defesa da Língua Portuguesa, 2000;
*A Intimidade da Palavra, 2010; 
*"Coleção Panorâmica do Conto em Pernambuco" (com Antônio Campos), 2010.
*Bandeira: No telescópio de três amigos do Recife, 2012;
*Milagre no Jardim da Casa Grande, 2003; e

- CONFIRA TAMBÉM -

*Confira AQUI a sua bibliografia!!!
*Confira da CRONOLOGIA de Cyl Gallindo!!!
*Confira algumas IMAGENS com Cyl Gallindo!!!
*Participe do GRUPO de Leitores Cyl Gallindo no Facebook!!!
*Siga a PÁGINA do Grupo de Leitores Cyl Gallindo no Youtube!!!
*Confira a PÁGINA de Cyl Gallindo no Pensador!!!

- REFERÊNCIAS -

*CYL GALLINDO. Wikipédia - A enciclopédia livre, 2021. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Cyl_Gallindo. Acesso em: 11, de Abril de 2021.

*GARCIA, Eduardo. Cyl Gallindo - por Eduardo Garcia. Recanto da Lusofonia, xxxx. Disponível em: https://www.recantodalusofonia.com/products/cyl-gallindo-por-eduardo-garcia/. Acesso em: 11 de Abril de 2021.

*QUINTAS, Fátima. Cyl Gallindo: Uma Saudade. Domingo com Poesia, 2013. Disponível em: http://www.domingocompoesia.com.br/2013/02/cyl-gallindo-uma-saudade.html. Acesso em: 11 de Abril de 2021.

*LIMA JR., Natanael. Cinco Poemas de Cyl Gallindo. Domingo com Poesia, 2020. Disponível em: http://www.domingocompoesia.com.br/2020/06/cinco-poemas-de-cyl-gallindo.html. Acesso em: 11 de Abril de 2021.


Postagem de: Leonardo Silva 

Post a Comment